Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/5670
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSouza, Alessandra Ribeiro dept_BR
dc.contributor.authorSilva, Tamires Camila da-
dc.date.accessioned2023-06-15T19:28:52Z-
dc.date.available2023-06-15T19:28:52Z-
dc.date.issued2023pt_BR
dc.identifier.citationSILVA, Tamires Camila da. Capitalismo, relações sociais e ocupacionais das mulheres : uma análise sobre os impactos da pandemia para as mulheres. 2023. 64 f. Monografia (Graduação em Serviço Social) - Instituto de Ciência Sociais e Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2023.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/5670-
dc.description.abstractA pesquisa realizada compreende em abrangência a análise sobre a realidade social brasileira enfrentada pelas mulheres nos diferentes espaços ocupacionais, em relação a óptica do enfrentamento a pandemia da COVID-19. Neste cenário, foi imprescindível a abordagem histórica social da situação de dependência da América Latina e suas circunstâncias geracionais trazidas sobre o conceito do patriarcado adquirido pelo modo de reprodução capitalista. O objetivo central foi reunir dados para explicar a realidade contemporânea que atinge diversos segmentos ocupacionais para o gênero feminino, compactuados com as influências sociais, econômicas e políticas. Para a metodologia dessas análises foi utilizado o materialismo dialético da teoria social de Karl Marx, a fim de compreender os processos de trabalho da sociedade capitalista dentro da categoria de classe. E, também, abrangendo categorias como raça e gênero. O processo se deu a partir da análise em quinze textos extraídos pela base de dados do Scielo, trazendo dados sobre a realidade do cotidiano das mulheres em diversos segmentos de grupos de mulheres. O resultado foi obtido, através das informações reunidas afirmaram portanto, a debilidade governamental durante a pandemia. Demonstrando o enfraquecimento de setores como, saúde, educação, alimentação, habitação e ciência. Todos fatores contribuíram significativamente para o agravamento de situações como disparidade salarial, sobrecarga de trabalho e ocupações, assédios, violências, invisibilidade e exclusão social. Portanto, a inflexibilidade do acesso, manutenção e fiscalização das políticas públicas contribuíram como propulsores prejudiciais à saúde mental e bem estar das mulheres.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectCapitalismopt_BR
dc.subjectDoenças transmissíveispt_BR
dc.subjectMulheres - empregopt_BR
dc.subjectSaúde públicapt_BR
dc.titleCapitalismo, relações sociais e ocupacionais das mulheres : uma análise sobre os impactos da pandemia para as mulheres.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.contributor.refereeSouza, Alessandra Ribeiro dept_BR
dc.contributor.refereeReis, Marina Rodrigues Corrêa dospt_BR
dc.contributor.refereeCarmo, Roberto Coelho dopt_BR
dc.contributor.authorID18.1.3397pt_BR
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_CapitalismoRelaçõesSociais.pdf674,38 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons