Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2512
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSebastião, Elza Conceição de Oliveirapt_BR
dc.contributor.advisorRezende, Cristiane de Paulapt_BR
dc.contributor.authorSantos, Paulo Cezar Corraide-
dc.date.accessioned2020-02-10T21:58:50Z-
dc.date.available2020-02-10T21:58:50Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationSANTOS, Paulo Cezar Corraide. Fatores determinantes da prescrição de benzodiazepínicos por médicos da atenção primária no Sistema Único de Saúde de Ouro Preto e Mariana. 2019. 102 f. Monografia (Graduação em Farmácia) - Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2512-
dc.description.abstractA elevada utilização de benzodiazepínicos (BZD’s) tanto em Ouro Preto e Mariana quanto no mundo para o tratamento de insônia e ansiedade, desperta a necessidade de investigar os fatores determinantes destas prescrições através de informações cedidas pelos profissionais médicos. Foi feito o levantamento da percepção médica sobre a prescrição de BZD nos Sistema Único de Saúde (SUS) em Ouro Preto e Mariana por meio de um estudo transversal farmacoepidemiológico, após aprovação por Comitê de Ética. A pesquisa foi executada nos meses de outubro e novembro de 2019, por meio da plataforma Google Forms. A maioria dos participantes assume a responsabilidade e a capacidade de tratar e diagnosticar transtorno de saúde mental, conhecendo e sabendo manejar somente as principais reações adversas dos medicamentos que prescreve. Percebe-se que fatores como: preocupação com reações adversas, relutância em consultar e tomar os medicamentos e estigmatização do diagnóstico são limitantes para o tratamento e seguimento terapêutico no tratamento de TSM por parte dos pacientes. Constatou-se também que apesar dos médicos participantes denotarem ter bons conhecimentos e habilidades para diagnosticar e manejar transtornos de ansiedade dos pacientes que atendem, a falta de recursos terapêuticos disponibilizados nos municípios é um fator que contribui para aumentar a prescrição de BZD. Outros fatores que podem favorecer a prescrição de BZD são relatados por alguns dos participantes como limitações decorrentes da formação destes profissionais, conhecimento sobre tratamento e diagnóstico dessas condições/enfermidades incompleto bem como falta de domínio sobre medidas não farmacológicas. Diante dos resultados percebeu-se a necessidade de criação de uma cartilha a fim de auxiliar o prescritor no processo de desprescrição de benzodiazepínicos oferecendo alternativas menos prejudiciais e instigando o pensamento em políticas públicas e educacionais que possam ir além do modelo medicalizante e perpetuador da anestesia do sofrimento.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopen accesspt_BR
dc.rights.uriAn error occurred getting the license - uri.*
dc.rights.uriAn error occurred getting the license - uri.*
dc.subjectPsicotrópicospt_BR
dc.subjectBenzodiazepinaspt_BR
dc.subjectMedicamentos - prescriçãopt_BR
dc.titleFatores determinantes da prescrição de benzodiazepínicos por médicos da atenção primária no Sistema Único de Saúde de Ouro Preto e Mariana.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.contributor.refereeBinda, Nancy Scarduapt_BR
dc.contributor.refereePedroso, Luana Amaralpt_BR
dc.contributor.refereeSebastião, Elza Conceição de Oliveirapt_BR
dc.description.abstractenThe high use of benzodiazepines (BZD's) in both Ouro Preto and Mariana and worldwide arouses the need to investigate the determinants of these prescriptions through information provided by medical professionals. It was made a survey of the medical perception about the prescription of BZD in the Unified Health System (SUS) in Ouro Preto and Mariana. After approval by the Ethics Committee, a pharmacoepidemiological cross-sectional study was conducted in October and November 2019 through the Google Forms platform. Most participants assume the responsibility and ability to treat and diagnose mental health disorder, knowing and managing only the major adverse reactions of the medications they prescribe. Factors such as: Concern with adverse reactions, reluctance to consult and take medications and stigmatization of the diagnosis are limiting for the treatment and therapeutic follow-up in the treatment of MST by patients. It was also found that although the participating physicians denote having good knowledge and skills to diagnose and manage anxiety disorders of the patients they attend, the lack of therapeutic resources available in the cities contributes to increase the prescription of BZD. Other factors that may favor the prescription of BZD are the limitations arising from the training of these professionals, knowledge about treatment and diagnosis of these incomplete conditions / diseases as well as lack of mastery (even knowledge) about non-pharmacological measures. Given the results it was realized the need to create a booklet to assist the prescriber in the process of desprescribe benzodiazepines. Offering less harmful alternatives and encouraging thought in public and educational policies that can go beyond the medicalizing and perpetuating model of anesthesia of suffering.pt_BR
dc.contributor.authorID15.2.2065pt_BR
Appears in Collections:Farmácia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_FatoresDeterminantesPrescrição.pdf7,26 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons