Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2320
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorNogueira, Roberto Henrique Pôrtopt_BR
dc.contributor.authorParreiras, Ana Luiza Pinto-
dc.date.accessioned2019-12-20T19:40:23Z-
dc.date.available2019-12-20T19:40:23Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationPARREIRAS, Ana Luiza Pinto. O potencial da mediação transformadora para efetivar o princípio do melhor interesse da criança e adolescente a partir da superação de acrasias determinadas por alienação parental. 2019. 63 f. Monografia (Graduação em Direito) - Escola de Direito, Turismo e Museologia, Universidade Federal de Ouro Preto, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2320-
dc.description.abstractO pressuposto da racionalidade plena, de domínio onisciente das variáveis e informações acerca de determinado contexto decisório, em um mundo cujo volume de produção, armazenamento e processamento de dados é crescente, pode soar falacioso. Nesse cenário, uma possível consequência de formatos simplificados de elaboração de raciocínio decisório é a acrasia, que “consiste no agir do sujeito contra seu próprio e melhor julgamento, pela falta de forças, por impotência para se governar, intemperança ou falta de autocontenção”. A alienação parental, por agravar a situação de vulnerabilidade de crianças e adolescentes envolvidos em entraves de convivência, pode aumentar a possibilidade de acrasia. Portanto, indaga-se se, por possibilitar a superação de acrasias, a mediação transformadora tem potencial pra efetivar o princípio do melhor interesse da criança e do adolescente, compreendido com base na teoria do desenvolvimento de Piaget, quando estes sujeitos se encontram marcados por alienação parental. A hipótese é de que ao reduzir a ocorrência de acrasias em um contexto de alienação parental, a mediação transformadora, na abordagem epistemológica cunhada por Bush e Folger, pode efetivar o princípio do melhor interesse da criança e adolescente, compreendido numa perspectiva piagetiana, porque promove a autonomia desses sujeitos. A relevância da pesquisa deve-se aos reflexos da nova Lei de Mediação e Código de Processo Civil, em âmbito social, para a proteção da expressão da participação e da manifestação de vontade de crianças e adolescentes em conflitos que lhes dizem respeito, especialmente quando em relações continuadas. Ademais, serve, ainda, para elucidar os espaços favoráveis ou privilegiados para a consolidação da autonomia existencial desses sujeitos, na gestão de seus próprios entraves de convivência. A vertente teórico-dogmática é adotada, a fim de compreender institutos fundamentais para a análise crítica interações jurídicas. Em alguma medida, a perspectiva a jurídico-diagnóstica também merece destaque, para a aferição de estratégias possíveis oriundas da mediação transformadora na promoção de sujeitos vulneráveis. A coleta de dados pretende efetuar a busca bibliográfica e documental.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopen accesspt_BR
dc.subjectMediaçãopt_BR
dc.subjectCriança e adolescentept_BR
dc.subjectAcrasiapt_BR
dc.subjectPrincípio do melhor interessept_BR
dc.subjectRacionalidade limitadapt_BR
dc.titleO potencial da mediação transformadora para efetivar o princípio do melhor interesse da criança e adolescente a partir da superação de acrasias determinadas por alienação parental.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.contributor.refereeNogueira, Roberto Henrique Pôrtopt_BR
dc.contributor.refereeSchettini, Beatrizpt_BR
dc.contributor.refereeGuzzo, Fabiano César Rebuzzipt_BR
dc.description.abstractenThe presupposition of an objetive rationality in a world where the volume of data production, storage and processing is increasing, may sound fallacious. In this scenario, a possible consequence of simplified decision-making formats is “acrasia”, which "consists in an acting of the subject against his own judgment about what is better to himself, lack of strength, powerlessness to govern himself, intemperance or lack of self-restraint." Parental alienation, by aggravating the vulnerability situation of children and adolescents involved in conflicts, can increase the possibility of acrasia. Therefore, the question is if transformative mediation has the potential to give effect to the principle of the best interests of children and adolescents, based on Piaget's theory of development, when these subjects are marked by alienation, by promoting overcoming of acrasias. The hypothesis is that by reducing the occurrence of acrasias in a context of parental alienation, transformative mediation, in the epistemological approach by Bush and Folger, can effect the principle of the best interest of children and adolescents, understood in a Piagetian perspective, because it promotes the autonomy of these subjects. The relevance of the research is due to the reflexes of the new Law of Mediation and Code of Civil Procedure, in social scope, for the protection of the expression of the participation and expression of will of children and adolescents in conflicts that concern them, especially when continued relationships. Moreover, it also serves to elucidate the favorable or privileged spaces for the consolidation of the existential autonomy of these subjects, in the management of their own barriers of coexistence. The theoretical-dogmatic aspect is adopted in order to understand fundamental institutes for the critical analysis of legal interactions. To some extent, the juridical-diagnostic perspective also deserves attention, in order to assess possible strategies arising from transformative mediation in the promotion of vulnerable subjects. The data collection intends to perform the bibliographic and documentary search.pt_BR
dc.contributor.authorID15.2.3082pt_BR
Appears in Collections:Direito

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_PotencialMediaçãoTransformadora.pdf831,62 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons