Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/929
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSantos, Cristiane Márcia dospt_BR
dc.contributor.authorLanna, Luiza Gabriela Martins-
dc.date.accessioned2018-05-18T16:36:52Z-
dc.date.available2018-05-18T16:36:52Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.citationLANNA, Luiza Gabriela Martins. Gastos das famílias no setor de saúde no estado de Minas Gerais de 2009 a 2013. 2017. 65 f. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) - Instituo de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/929-
dc.description.abstract0 Brasil é caracterizado por intensa desigualdade, transpassando para todos os âmbitos e o setor de saúde apresenta os mesmos contrastes. A Constituição Federal de 1988 determina a saúde como direito universal dos indivíduos e o Sistema Único de Saúde através dos princípios da universalidade e equidade busca promover aos cidadãos acesso aos serviços de saúde de forma igualitária, integral e gratuita. 0 financiamento do sistema público de saúde ineficiente e a distribuição desigual de recursos devido as diferenças regionais representam importantes obstáculos para a efetividade dos princípios estabelecidos pelo sistema público. Assim, as famílias acabam tendo que arcar com expressivos gastos em saúde, que se diferenciam conforme regiões e níveis de renda. A região sudeste apresenta elevados gastos com saúde, portanto, este estudo teve como objetivo compreender a evolução e composição dos gastos em saúde no estado de Minas Gerais através dos dados da Pesquisa por Amostra de Domicilio de Minas Gerais (PAD-MG), nos períodos de 2009, 2011 e 2013 contextualizando com os resultados dos principais trabalhos sobre os gastos das famílias brasileiras com saúde. Os resultados encontrados para Minas Gerais apresentaram semelhanças e contradições aos gastos encontrados no pais. identificou-se um aumento dos gastos com saúde em Minas Gerais nos períodos da pesquisa, em que a composição;:ao dos gastos se diferenciaram do contexto nacional. As famílias brasileiras apresentaram gastos maiores com medicamentos e as mineiras demonstraram gastar mais com os pianos ou seguros de saúde, porem, em 2013, os dados indicaram elevados gastos com internação pelos mineiros. No contexto inter-regional e possível identificar as disparidades, assim, como também, no que se refere ao nível de renda. No entanto, em 2013, regiões menos desenvolvidas economicamente de Minas Gerais apresentaram despesas com saúde elevadas, assim, como as famílias de renda mais baixa.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopen accesspt_BR
dc.subjectPolítica de saúdept_BR
dc.subjectEconomia - aspectos sociológicospt_BR
dc.subjectSistema Único de Saúdept_BR
dc.titleGastos das famílias no setor de saúde no estado de Minas Gerais de 2009 a 2013.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida à Biblioteca Digital de TCC’s da UFOP pelo(a) autor(a) em 07/04/2017 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeSantos, Cristiane Márcia dospt_BR
dc.contributor.refereeOliveira, André Mourthé dept_BR
dc.contributor.refereeFernandes, Rosangela Aparecida Soarespt_BR
dc.description.abstractenBrazil is characterized by intense inequality, transcending all areas and the health sector presents the same contrasts. The Federal Constitution of 1988 determines health as a universal right of individuals and the Unified Health System through the principles of universality and equity seeks to promote citizens access to health services in an egalitarian, integral and free way. The financing of the inefficient public health system and the unequal distribution of resources due to regional differences represent important obstacles to the effectiveness of the principles established by the public system. Thus, families end up having to pay for significant health expenditures, which differ according to regions and income levels. The southeast region has high health expenditures, so this study aimed to understand the evolution and composition of health expenditures in the state of Minas Gerais through data from the Household Sample Survey of Minas Gerais (PAD-MG), in the periods of 2009, 2011 and 2013 contextualizing with the results of the main works on the expenditures of Brazilian families with health. The results found for Minas Gerais presented similarities and contradictions to the expenses found in the country. An increase in health expenditures in Minas Gerais was identified during the periods of the research, in which the composition of expenditures differed from the national context. Brazilian families showed higher spending on medicines and the ones from Minas Gerais demonstrated to spend more on health plans or insurance, but in 2013, the data indicated high expenses with hospitalization by the ones from Minas Gerais. In the interregional context it is possible to identify the disparities, as well as the level of income. However, in 2013, less economically developed regions of Minas Gerais had high health expenditures, thus, as lower income families.pt_BR
Appears in Collections:Ciências Econômicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_GastosFamiliaSaude.pdf34,97 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons