Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/754
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorOliveira, André Mourthé dept_BR
dc.contributor.authorRodrigues, Pedro de Oliveira-
dc.date.accessioned2018-02-22T17:42:38Z-
dc.date.available2018-02-22T17:42:38Z-
dc.date.issued2016-
dc.identifier.citationRODRIGUES, Pedro de Oliveira. O desempenho da indústria brasileira nos últimos 20 anos : avanços e limites da industrialização recente no país. 2016. 57 f. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) - Instituto de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/754-
dc.description.abstractCom o objetivo de compreender o motivo pelo qual a indústria brasileira não obteve resultados expressivos ao longo dos últimos 20 anos, foi realizada uma pesquisa que visava estudar os possíveis elementos que afetam a produção industrial e, através de gráficos coletados no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), analisar o comportamento do setor industrial e seus subsetores. A taxa de câmbio e a taxa de juros (Selic) foram as principais variáveis macroeconômicas utilizadas para comparar com a produção industrial, além de fatores políticos e econômicos que ocorreram ao longo dos 20 anos trabalhados nessa obra. Foi feito também um estudo sobre o contexto histórico desde o início do processo de industrialização brasileiro, a fim de compreender o porquê da dificuldade de se instaurar uma indústria forte dentro do nosso país. Através dos resultados obtidos nesse trabalho, foi possível entender que as políticas adotadas pelos governos da época não trouxeram o retorno esperado. A indústria brasileira se mostrou altamente sensível à crises econômicas, apresentando quedas bruscas nos períodos dessas crises e forte dificuldades para retomar sua produção após o mesmo evento. Além dessa sensibilidade, a indústria brasileira não consegue se inserir no mercado externo de maneira competitiva. As manufaturas brasileiras apresentam alto valor comercial e baixa qualidade quando comparadas com os produtos estrangeiros. Vale ressaltar, no entanto, que os subsetores voltados para a mercantilização de produtos primários obtiveram resultado positivo, mostrando como nosso país continua sendo fornecedor de matéria prima.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopen accesspt_BR
dc.subjectProdução - indústriapt_BR
dc.subjectCrescimento econômicopt_BR
dc.subjectCompetitividade industrialpt_BR
dc.titleO desempenho da indústria brasileira nos últimos 20 anos : avanços e limites da industrialização recente no país.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida à Biblioteca Digital de TCC’s da UFOP pelo(a) autor(a) em 19/10/2016 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais.pt_BR
dc.contributor.refereeOliveira, André Mourthé dept_BR
dc.contributor.refereeCosentino, Daniel do Valpt_BR
dc.contributor.refereeCosta, Ricardo André dapt_BR
dc.description.abstractenIn order to understand why the Brazilian industry did not achieve significant results over the past 20 years, a survey aimed at studying the possible elements that affect industrial production and through collected charts in the Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), analyze the behavior of the industrial sector and its subsectors. The exchange rate and the interest rate (Selic) were the main macroeconomic variables used to compare with industrial production, as well as political and economic factors that have occurred over the 20 years studied in this work. It was also made a study of the historical context from the beginning of the Brazilian industrialization process in order to understand why the difficulty to establish a strong industry in our country. The results obtained in this work, it was possible to understand that policies used by the governments of the time did not bring the expected return. The Brazilian industry was highly sensitive to the economic crisis, with sharp declines in periods of these crises and strong difficulties to resume production after the same event. Beyond this sensitivity, the Brazilian industry can not join in the foreign market competitively. Brazilian manufacturers have high commercial value and low quality compared to foreign products. It is noteworthy, however, that the subsectors facing the commercialization of primary products have obtained positive results, showing how our country is still supplier of raw materials.pt_BR
Appears in Collections:Ciências Econômicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_DesempenhoIndústriaBrasileira.pdf1,53 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons