Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/5850
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSoares, Everton Rochapt_BR
dc.contributor.advisorFerreira, Renato Melopt_BR
dc.contributor.authorMenezes, Millena Teixeira Souza-
dc.contributor.authorSouza, Vinicius Diniz de-
dc.date.accessioned2023-08-24T12:42:19Z-
dc.date.available2023-08-24T12:42:19Z-
dc.date.issued2023pt_BR
dc.identifier.citationMENEZES, Millena Teixeira Souza.; SOUZA, Vinícius Diniz. Será que a autopercepção de competência de desempenho físico e a motivação de meninos e meninas do ensino médio é diferente?. 2023. 36 f. Monografia (Graduação em Educação Física - Licenciatura) - Escola de Educação Física, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2023.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/5850-
dc.description.abstractA autopercepção da competência pode ser um importante fator na compreensão da motivação e autoconceito na infância e adolescência, favorecendo, assim, um maior engajamento em busca de melhorar o desempenho. O objetivo deste trabalho foi comparar a motivação e a autopercepção de desempenho físico de meninos e meninas do ensino médio de uma escola da rede pública Federal de Ensino. Neste estudo, foi realizado uma pesquisa de caráter transversal e quantitativo, onde 82 discentes (38 meninos, 16,74 ± 0,01 anos e 44 meninas, 16,68 ± 1,12 anos), participaram como voluntários. Os estudantes foram avaliados quanto ao nível de atividade física a partir do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) e avaliados através do Behavioral Regulation in Exercise Questionnaire-2 (BREQ-2, versão em português) que avalia a autorregulação da motivação. Ademais, os estudantes foram avaliados quanto a percepção e desempenho físico nos testes de arremesso do Medicine Ball, Velocidade, Agilidade, Salto Horizontal e Flexão de Braço. Nossos resultados indicaram que meninos e meninas apresentaram níveis de motivações diferentes, sendo os meninos motivados mais intrinsecamente e mais autorregulados do que as meninas. Adicionalmente, meninos e meninas subestimaram suas capacidades físicas nos testes Medicine Ball, Velocidade, Agilidade e Flexão de Braço, mas não no Salto Horizontal. Sendo que a assertividade no desempenho destes testes foi diferente de acordo com o sexo dos estudantes. Conclui-se que a autopercepção de competência pode ter influência quanto ao tipo de teste, e a motivação de meninos e meninas é diferente.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectMotivaçãopt_BR
dc.subjectAutopercepção - desempenho físico- testespt_BR
dc.subjectExercícios físicos - avaliaçãopt_BR
dc.titleSerá que a autopercepção de competência de desempenho físico e a motivação de meninos e meninas do ensino médio é diferente?pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.contributor.refereeSoares, Everton Rochapt_BR
dc.contributor.refereeUngheri, Bruno Ocellipt_BR
dc.contributor.refereeFerreira, Renato Melopt_BR
dc.description.abstractenThe self-perception of competence can be an important factor in understanding motivation and self-concept in childhood and adolescence, thus favoring greater engagement in the search for improved performance. The aim of this study was to compare the motivation and selfperception of physical performance in high school boys and girls from a public school in the federal public schoolsystem. In this study, a cross-sectional and quantitative survey was carried out, where 82 students(38 boys, 16.74 ± 0.01 years and 44 girls, 16.68 ± 1.12 years) participated as volunteers. The students were assessed for their level of physical activity using the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) and assessed using the Behavioral Regulation in Exercise Questionnaire-2 (BREQ-2, Portuguese version) which assesses selfregulation of motivation. In addition, the students were evaluated regarding their perception and physical performance in the Medicine Ball throwing, Speed, Agility, Horizontal Jump and Arm Flexion tests. Our results indicated that boys and girls had different levels of motivation, with boys being more intrinsically motivated and more self-regulated than girls. In addition, boys and girls underestimated their physical abilities in the Medicine Ball testicles, Speed, Agility and Push-ups, but not in the HorizontalJump. Since the assertiveness in the performance of these tests was different according to the gender of the students. It is concluded that the selfperception of competence can influence the type of test, and the motivation of boys and girls is different.pt_BR
dc.contributor.authorID18.2.6091pt_BR
dc.contributor.authorID18.2.6104pt_BR
Appears in Collections:Educação Fisíca - Licenciatura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_AutopercepçaoCompetenciaDesempenho (1).pdf1,04 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons