Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2555
Title: Filhas da Guerra : a mulher enquanto fonte na primeira temporada do Projeto Humanos.
Authors: Alves, Amanda Tavares
metadata.dc.contributor.referee: Chagas, Luan José Vaz
Machado, Felipe Viero Kolinski
Silva, Luana Viana e
Keywords: Mulheres
Podcasting
Mulheres e Guerra
Issue Date: 2019
Citation: ALVES, Amanda. Filhas da Guerra: a mulher enquanto fonte na primeira temporada do Projeto Humanos. 2019. 88 f. Monografia (Graduação em Jornalismo) - Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2019.
Abstract: A presente monografia tem por objetivo observar como o podcast “Filhas da Guerra”, do Projeto Humanos, trabalha a representação da mulher e se há protagonismo do gênero feminino numa produção radiofônica que aborda a guerra. Assim, nosso trabalho inicialmente traça um panorama histórico do rádio até chegar ao atual modelo de rádio expandido (KISCHINHEVSKY, 2016) em contexto de convergência, refletindo também sobre as fases de implantação, difusão e segmentação (FERRARETTO, 2012). Então, passamos a discutir sobre as mulheres no rádio (SILVA, 2015), sobre as fontes no jornalismo e sobre o lugar de fala (RIBEIRO, 2017). Além disso, dentro desse panorama, discutimos sobre a identidade da mulher, até mesmo durante a guerra. A principal questão refletida no trabalho é a escassez de produções que discutem a mulher enquanto fonte jornalística. Por fim, através da análise do conteúdo (HERSCOVITZ, 2007), observamos os cinco episódios do podcast: “O mal puxa o mal”; “O trabalho liberta”; “A profecia”; “As filhas da guerra”; e “O que aprendemos”. Como principal resultado, observamos que mesmo se tratando de uma temporada destinado a elasas mulheres -, a fala se dá de forma secundária e legitimada por homens, refletindo, ainda, a atual sociedade.
metadata.dc.description.abstracten: This monograph aims to observe how the podcast “Filhas da Guerra”, from Projeto Humanos, works the representation and if there is female protagonism in a radio production that addresses the war. Thus, our work initially traces a historical radio panorama until it reaches the current expanded radio model (KISCHINHEVSKY, 2016), in this convergence context, also reflecting on the deployment, diffusion and segmentation’s phases (FERRARETTO, 2012). So, we started discussing about women on the radio (SILVA, 2015), about sources in journalism and about the speech place (RIBEIRO, 2017). In addition, within this panorama, we discuss women's identity, even during the war. The main issue reflected in the work is the journalistic scarcity productions that discuss women as a journalistic source. Finally, through content analysis (HERSCOVITZ, 2007), we look at the five episodes “O mal puxa o mal”; “O trabalho liberta”; “A profecia”; “As filhas da guerra”; and “O que aprendemos”. As a main result, we observe that even when it is a season for women, they speak in a secondary way and they are legitimized by men, reflecting the current society.
URI: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2555
Appears in Collections:Jornalismo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_FilhasGuerraMulher.pdfMonografia: Filhas da Guerra_Mulheres como fonte1,49 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons