Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2477
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorDelgado, Victor Maia Sennapt_BR
dc.contributor.authorPadula, Leonardo de Freitas-
dc.date.accessioned2020-01-20T11:30:05Z-
dc.date.available2020-01-20T11:30:05Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationPADULA, Leonardo de Freitas. Análise de eficiência dos gastos com educação entre os países participantes do PISA no ano de 2015. 2019. 41 f. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) - Instituto de Ciências Sociais Aplicadas - Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2477-
dc.description.abstractO Brasil tem apresentado resultados insatisfatórios nas avaliações do PISA (Programme for International Student Assessment) e devido ao desequilíbrio do orçamento público brasileiro, foi aprovada no ano de 2016 uma política fiscal contracionista conhecida como Emenda Constitucional (EC) do Teto dos Gastos. A referida EC limita o aumento real dos gastos do governo por um período de 20 anos, com o objetivo de conter os gastos públicos e ajudar a resolver o problema fiscal do país, essa limitação de um aumento real dos gastos do governo impossibilita a utilização de políticas públicas que visam melhorar a qualidade da educação através do aumento de investimentos. Diante deste cenário, buscou-se, nesta monografia, analisar a eficiência dos gastos com educação dos países que realizaram a prova do PISA no ano de 2015, com o objetivo de identificar os países eficientes e os ineficientes, enfatizando a situação brasileira quando comparada com os demais países analisados. Para medir a eficiência foi utilizado o método não paramétrico DEA (Análise Envoltória de Dados, do inglês, Data Envelopment Analysis) orientado ao output, utilizando como insumos as despesas no ensino primário e secundário, e como produtos os resultados da prova no PISA. Verificou-se que o Brasil é o país que apresenta maior ineficiência entre os países analisados, o que impõe a constatação de que é possível melhorar os resultados da prova do PISA sem que haja um aumento dos recursos já disponibilizados.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopen accesspt_BR
dc.subjectEficiência organizacionalpt_BR
dc.subjectEducaçãopt_BR
dc.subjectPrograma internacional de avaliações de alunos - PISApt_BR
dc.subjectAnálise de envoltória de dadospt_BR
dc.titleAnálise de eficiência dos gastos com educação entre os países participantes do PISA no ano de 2015.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.contributor.refereeDelgado, Victor Maia Sennapt_BR
dc.contributor.refereeOliveira, Héder Carlos dept_BR
dc.contributor.refereeFonseca, Carolina Rodriguespt_BR
dc.description.abstractenBrazil has shown unsatisfactory results on PISA’s (Programme for International Student Assessment) ratings, and due to the imbalance of the Brazilian public budget, a contractionary fiscal policy known as the Emenda Constitucional (EC) do Teto dos Gastos was approved in 2016. This constitutional amendment limits the real increase in government spending for a period of 20 years, seeking to contain public spending and helping to solve the country's fiscal problem. This limitation of a real increase in government spending turns it in a really hard scenario to use public policies aimed at improving the quality of education through real increasing in the investments. Given this scenario, the present research proposes to analyze the efficiency of education spending of the countries that took the PISA test in 2015, in order to identify efficient and inefficient countries, emphasizing the Brazilian situation when compared to the other countries analyzed. The non-parametric output-oriented Data Envelopment Analysis (DEA) method was applied to measure efficiency, using the primary and secondary education expenditures as inputs and PISA test results as outputs. It was found that Brazil is the country with the highest inefficiency among the countries analyzed, which shows that it is possible to improve the results of the PISA test without increasing the investment resources already available.pt_BR
dc.contributor.authorID15.1.3899pt_BR
Appears in Collections:Ciências Econômicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_AnáliseEficiênciaGastos.pdf590,88 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons