Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/1578
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorGuimarães, Andrea Grabept_BR
dc.contributor.advisorCastro, Quênia Janaína Tomaz dept_BR
dc.contributor.authorCoelho, Mariana Carolina Reis-
dc.date.accessioned2019-01-02T18:59:46Z-
dc.date.available2019-01-02T18:59:46Z-
dc.date.issued2018-
dc.identifier.citationCOELHO, Mariana Carolina Reis. Avaliação da influência do exercício físico no uso de anti-hipertensivos. 2018. 53 f. Monografia (Graduação em Farmácia) - Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/1578-
dc.description.abstractA hipertensão arterial pode ser definida como uma condição clínica multifatorial, que é caracterizada pela elevação sustentada da pressão arterial maior que 140 e/ou 90 mmHg, para pressão arterial sistólica e diastólica, respectivamente, e é agravada quando associada a fatores de risco como obesidade, diabetes melito e dislipidemia. Inicialmente, é recomendado o tratamento não medicamentoso, sendo necessário a melhora dos hábitos alimentares e a prática regular de exercícios físicos. Já a terapia medicamentosa, deve ser adotada de acordo com o estágio de hipertensão arterial e risco cardiovascular apresentados pelo paciente. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência da prática regular de exercícios físicos associada ao uso de medicamentos anti-hipertensivos padronizados na Relação Municipal de Medicamentos Essenciais de Ouro Preto, MG, sobre o controle da pressão arterial. Foi realizado um estudo descritivo a partir de entrevistas em visitas domiciliares a pessoas diagnosticadas com hipertensão, cadastradas na Farmácia Escola da Universidade Federal de Ouro Preto, em uso dos medicamentos anti-hipertensivos captopril, enalapril, atenolol ou carvedilol. Foram entrevistados 13 homens e 17 mulheres, totalizando 30 pessoas. Com relação à pratica de exercício, foi observado que 60% dos indivíduos não praticavam exercício físico. 90% dos voluntários utilizavam pelo menos um outro anti-hipertensivo em associação com os medicamentos objetos do presente estudo, e pouco mais da metade afirmou não possuir restrição alimentar por recomendação médica. Aproximadamente um terço dos participantes apenas (n=9) apresentaram a pressão arterial controlada. Foi possível observar a influência da prática regular de exercícios físicos sobre o uso de anti-hipertensivos, uma vez que os resultados mostraram que os entrevistados que praticam exercício físico utilizam um número menor de anti-hipertensivos do que aqueles que não praticam. Ainda assim, outros estudos devem ser desenvolvidos a fim de fornecer informações complementares sobre a influência da prática de exercícios físicos como terapia complementar para a hipertensão arterial.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopen accesspt_BR
dc.subjectHIpertensão arterialpt_BR
dc.subjectExercício físicopt_BR
dc.subjectPressão arterialpt_BR
dc.subjectAnti-hipertensivopt_BR
dc.titleAvaliação da influência do exercício físico no uso de anti-hipertensivos.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida à Biblioteca Digital de TCC’s da UFOP pelo(a) autor(a) em 22/12/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeBinda, Nancy Scarduapt_BR
dc.contributor.refereeBarcellos, Neila Márcia Silvapt_BR
dc.contributor.refereeGuimarães, Andrea Grabept_BR
dc.contributor.refereeCastro, Quênia Janaína Tomaz dept_BR
dc.description.abstractenHypertension can be defined as a multifactorial clinical condition characterized by sustained elevation of blood pressure greater than 140 and/or 90 mmHg for systolic and diastolic blood pressure, respectively, and it is aggravated when associated with risk factors such as obesity , diabetes mellitus and dyslipidemia. Initially, non-medicated treatment is recommended, and it is necessary to improve eating habits and regular physical exercise. The drug therapy should be adopted according to the stage of hypertension and cardiovascular risk presented by the patient. The objective of this study was to evaluate the influence of regular physical exercise associated with the use of standardized antihypertensive drugs in the Municipal Relationship of Essential Medicines of Ouro Preto, MG, on blood pressure control. A descriptive study was conducted from home visits to people diagnosed with hypertension enrolled in the School Pharmacy of the Federal University of Ouro Preto, using the antihypertensive drugs captopril, enalapril, atenolol or carvedilol. Thirteen men and 17 women were interviewed, totaling 30 people. Regarding exercise, it was observed that 60% of the individuals did not practice physical exercise. 90% of the volunteers used at least one other antihypertensive in combination with the drugs in the present study, and slightly more than half reported no food restriction on medical recommendation. Approximately one-third of participants only (n = 9) had controlled blood pressure. It was possible to observe the influence of regular physical exercise on the use of antihypertensive drugs, since the results showed that those who practice physical exercise use a lower number of antihypertensive drugs than those who do not practice. Still, other studies should be developed to provide additional information about the influence of physical exercise as a complementary therapy for hypertension.pt_BR
Appears in Collections:Farmácia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_AvaliaçãoInfluênciaExercício.pdf958,21 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons