Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/1275
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorBarbosa, Maria Sílvia Carvalhopt_BR
dc.contributor.authorOliveira, Maria José Campos de-
dc.date.accessioned2018-08-22T14:43:37Z-
dc.date.available2018-08-22T14:43:37Z-
dc.date.issued2018-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, Maria José Campos de. Análise geofísica da falha de Cata Branca - região centro-norte do Sinclinal Moeda, Quadrilátero Ferrífero. 2018. 82 f. Monografia(Graduação em Engenharia Geológica) - Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/1275-
dc.description.abstractA falha transcorrente de Cata Branca, localizada na porção centro-norte da Sinclinal Moeda, corresponde a uma interessante estrutura de estudo no Quadrilátero Ferrífero (QFe), situado no extremo sul do Cráton São Francisco. No estado de Minas Gerais, o QFe é uma província bastante estudada devido à ocorrência de diversos bens minerais e de sua complexidade geológica, envolvendo múltiplos eventos deformacionais e uma gama diversa de estruturas geológicas. A área de estudo está localizada na BR-356, rodovia dos Inconfidentes entre as cidades de Ouro Preto e Itabirito. A falha de Cata Branca de orientação praticamente E-W, apresenta um traço de aproximadamente 7 km de extensão e é marcada no relevo por um vale que desloca o contato entre as rochas da Formação Moeda e os xistos do Grupo Nova Lima do Supergrupo Rio das Velhas, em subsuperficie os limites de profundidade variam de 475 a 1250 metros.. A região é bem conhecida também pela exploração de ouro expressiva nos séculos XIX e XX, estando os depósitos auríferos associados a veios de quartzo verticais, paralelos à falha e cortam ortogonalmente os quartzitos da Formação Moeda. O objetivo deste trabalho é mostrar a continuidade da falha de Cata Branca em profundidade, utilizando da geofísica como ferramenta aplicada de estudo que permite que os contrastes entre as propriedades físicas das litologias sejam estudadas através das assinaturas anômalas dos campos físicos. Logo análises geofísicas qualitativas e quantitativas de dados magnetométricos e radiométricos permitiram respectivamente a caracterização da falha de Cata Branca em subsuperfície, e a caracterização cartográfica litológica em superfície. A modelagem em 3D da estrutura foi realizada após processamento geofísico dos dados mediante aplicação de filtros para obter comprimentos de onda definidos para cada profundidade desejada.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopen accesspt_BR
dc.rights.uriAn error occurred getting the license - uri.*
dc.subjectMagnetometriapt_BR
dc.subjectRadiometriapt_BR
dc.titleAnálise geofísica da falha de Cata Branca - região centro-norte do Sinclinal Moeda, Quadrilátero Ferrífero.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida à Biblioteca Digital de TCC’s da UFOP pelo(a) autor(a) em 13/07/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeBarbosa, Maria Sílvia Carvalhopt_BR
dc.contributor.refereeTazava, Edisonpt_BR
dc.contributor.refereeGonçalves, Leonardo Eustáquio da Silvapt_BR
Appears in Collections:Engenharia Geologica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_AnáliseGeofísicaFalha.pdf6,76 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.