Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/459
Título: Análise da diferença no tempo das maratonas no Brasil comparado com outros países, e os possíveis fatores para essa diferença.
Autor(es): Souza, Patrícia Santos de
Orientador(es): Silva, Albená Nunes da
Membros da banca: Magalhães, Adailton Eustáquio
Paula, Heber Eustáquio de
Silva, Albená Nunes da
Rocha, Everton Soares
Palavras-chave: Maratonas
Jogos olímpicos
Maratonas - diferença de tempos
Data do documento: 2017
Referência: SOUZA, Patrícia Santos de. Análise da diferença no tempo das maratonas no Brasil comparado com outros países, e os possíveis fatores para essa diferença. 28f. Monografia (Graduação em Educação Física) - Centro Desportivo da Universidade Federal de Ouro Preto, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2017.
Resumo: Desde a criação da maratona em 1896 a corrida passou por muitas modificações e hoje é considerada muito mais que uma corrida, a prova mais tradicional do atletismo é considerada uma experiência de vida e vem sendo cada vez mais disputada desde participações de atletas de elite até amadores apaixonados pela modalidade. Atualmente a prova possui 42.195 km e mesmo tendo seu percurso longo e desgastante, vem atraindo ao longo destes anos mais adeptos. Dentro das diversas modificações ao longo dos anos o estudo em questão irá salientar a respeito do tempo de conclusão da prova pelos atletas de elite dentro e fora do Brasil, que vem se tornando ainda menores, e por esse motivo torna um desafio para cada atleta de elite a quebra do recorde mundial. Atualmente o recorde mundial pertence ao queniano Dennis Kimetto com 2h02min57s conquistado na Maratona de Berlim em 2014, e entre as mulheres a recordista mundial é a Paula Radcliffe com o tempo de 2h15min25s conquistado na maratona de Londres em 2003. Portanto, o objetivo comparar os melhores tempos dos atletas de elite em maratonas realizada em solo brasileiro com maratonas em outros países e os possíveis fatores para essa diferença. A estratégia metodológica utilizada foi selecionar as maratonas mais tradicionais no Brasil, sendo escolhidos as cidades do Rio de janeiro e São Paulo, posteriormente foi realizada uma pesquisa bibliográfica em artigos sobre a temática abordada, sites de corrida e revistas a fim de realizar o levantamento dos melhores tempos dos atletas nas maratonas na cidade do Rio de Janeiro e São Paulo, levando em consideração os anos de 2005 a 2015. Após a coleta dos dados, dentre os atletas encontrados na pesquisa foi realizado um levantamento da melhor marca pessoal de cada atleta de elite e qual cidade/País foi a conquista dessa melhor marca, feito isso os dados foram organizados em uma tabela para assim identificar e comparar se existe diferença no tempo das maratonas no Brasil comparando com outros países. Para evidenciar essa diferença foram levantados alguns dos seguintes fatores sendo eles, umidade relativa do ar, altimetria, temperatura e os altos valores das premiações pagos pelos atletas que conquistam os melhores tempos. A análise e interpretação dos dados encontrados na pesquisa mostraram que a partir da comparação realizada dos tempos no Brasil com os tempos e locais onde foi conquistada a melhor marca pessoal dos atletas evidenciados, pode- se afirmar que no Brasil o tempo de conclusão das provas tem uma elevada diferença, sendo assim a melhor marca Pessoal de grande parte dos atletas deste estudo se consolida fora do Brasil, podemos afirmar que os fatores evidenciados (Altimetria, Umidade relativa do ar, temperatura e as altas premiações), contribuem consideravelmente para essa diferença.
Resumo em outra língua: Since the creation of the marathon in 1896 the race has gone through many changes and today is considered much more than a race, the most traditional race of athletics is considered a life experience and has been increasingly disputed from the participation of elite athletes to amateurs passionate about the sport. Nowadays, the race has 42,195 km and, although it has a long and exhausting track, it has been attracting more followers throughout these years. Within the various modifications over the years, the study in question will emphasize the time of completion of the race by the elite athletes inside and outside Brazil, which is becoming even shorter, and for that reason, it makes a challenge for each elite athlete to break the world record. Currently the world record belongs to the Kenyan Dennis Kimetto with 2h02min57s achieved in the Berlin Marathon in 2014, and among women, the world record holder is Paula Radcliffe with the time of 2h15min25s achieved in the London marathon in 2003. Therefore, the objective of this study is to compare the best times of elite athletes in marathons held on Brazilian soil with marathons in other countries. The methodological strategy used was to select the most traditional marathons in Brazil, choosing the cities of Rio de Janeiro and São Paulo. Later, a bibliographical research was done on articles on the subject, race websites and magazines in order to survey the best times of the athletes in the marathons in the cities of Rio de Janeiro and São Paulo, taking into account the years 2005 to 2015. After collecting the data, among the athletes found in the research, it was held a survey of the best personal mark of each elite athlete and which city / country was the conquest of this best mark, done that the data were organized in a table to identify and compare if there is a difference in the time of marathons in Brazil compared to other countries. To highlight this difference, some of the following factors were raised: air humidity, altimetry, temperature and the high values of the awards paid by athletes who achieve the best times. The analysis and interpretation of the data found in the research showed that, based on the comparison of the times in Brazil with the times and places where the best personal mark of the evidenced athletes was obtained, it can be stated that in Brazil the time of conclusion of the races has a high difference, thus the best personal mark of most of the athletes in this study is consolidated outside Brazil, we can say that the factors (Altimetry, Relative air humidity, temperature and high awards), contribute considerably to this difference.
URI: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/459
Licença: Autorização concedida à Biblioteca Digital de TCC da UFOP pelo autor, 29/03/2017, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite a adaptação desta.
Aparece nas coleções:Educação Física - Bacharelado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MONOGRAFIA_AnáliseDiferençaTempo.pdf596,63 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons